Clipping
2012
  • Folha de São Paulo - 23 de outubro de 2012
    Na seção Tendências | Debates foi publicado o artigo A escola hoje e os alunos que não aprendem, de autoria do Dr. Roberto Lobo. Clique aqui para ver o artigo
  • Revista Ensino Superior - setembro de 2012 - edição 168
    Na seção Gestão, foi publicada a reportagem O que é que ele tem?, onde o Dr. Roberto Lobo diz que a evasão na graduação se torna um grande desperdício social, econômico e acadêmico. A reportagem apresenta uma pesquisa que mostra os cursos universitários que possuem maior taxa de retenção, bem como orienta a instituição como utilizar as informações a favor e ampliar os bons resultados para todos os cursos.
  • InfoEnem: o maior portal do Enem - 16 de agosto de 2012
    O portal (www.infoenem.com.br) publicou o artigo Sou contra cotas nas universidades brasileiras, de autoria da Profª Maria Beatriz de Carvalho Melo Melo, publicado no site do Instituto em março de 2011. Para ler o artigo, clique aqui.
  • Folha de São Paulo - 29 de maio de 2012
    Na seção Tendências | Debates o Prof. Roberto Lobo homenageou um ex-professor - um grande professor, o melhor que ele conheceu. E um grande amigo - Almir Massambani. Clique aqui para ver o artigo Lições do melhor professor que conheci na íntegra.
  • Estadão.com.br/Vida - 17 de maio de 2012
    Foi publicado o artigo A autonomia, a sustentabilidade e a competitividade das universidades líderes do Dr. Roberto. Clique aqui para ler o artigo.
  • Mogi News - 18 de março de 2012
    No Caderno Emprego - artigo Mercado de trabalho sofre com déficit no número de engenheiros, o Prof. Roberto Lobo fala sobre a falta de profissionais, o alto índice de evasão e a falta de qualificação;
  • O Estado de São Paulo (A12 - Vida) - 20 de fevereiro de 2012
    No artigo Para que devem ser formados os novos engenheiros? o Dr. Roberto Lobo fala sobre a especialização precoce imposta aos engenheiros, que impede a formação de profissionais capazes de inovar. Clique aqui para ler o artigo na íntegra
  • O Estado de S. Paulo - 20 de Fevereiro de 2012
    No Caderno Vida - Seção Educação, o Prof. Roberto Lobo foi entrevistado pelo jornalista Sérgio Pompeu e falou sobre a necessidade do Brasil em ter engenheiros inovadores. Clique aqui para ver a estrevista na íntegra.
  • Folha de São Paulo - 26 de Janeiro de 2012
    Na seção Tendências | Debates o Prof. Roberto Lobo falou que, ao contrário das afirmações sensacionalistas, Newton e Einstein não estavam errados; as novas descobertas da física só são observadas em escalas extremas, em artigo com o título: Os foguetes ainda são newtonianos. Clique aqui para ver o artigo na íntegra.
2011
  • ENGENHEIRO - Órgão Informativo da Federação Nacional dos Engenheiros - Novembro de 2011 Ano XIII - N° 114
    O Prof. Roberto Lobo concedeu entrevista à jornalista Rita Cavaro sobre o Instituto criado pelo SEESP (Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo), que pretende formar profissionais aptos à inovação em qualquer área. Clique aqui para ver a reportagem completa.

  • Folha de São Paulo - 14 de junho de 2011
    Na coluna Tendências | Debates, em seu artigo "A engenharia ainda precisa de oxigênio", o professor Roberto Lobo fala sobre o crescimento da engenharia, que ocorreu porque outros cursos apresentaram uma redução no número de ingressantes, mas o fenômeno tera um limite no curto prazo.

  • Revista Ensino Superior - Junho 2011
    Na edição número 152, na reportação Luz amarela na graduação (página 28), o Dr. Roberto Lobo emite sua opinião sobre o desafio de incluir mais jovens no ensino superior, como prevê o PNE.

2010
  • Folha de São Paulo - 24 de setembro de 2010
    Na coluna Tendências | Debates os professores Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo falam sobre as redes estrangeiras e o ensino superior.

  • Revista Ensino Superior - Julho 2010
    Na edição número 142, na reportação Retenção (página 26) o Dr. Roberto Lobo fala sobre a evasão no ensino superior.

  • Mogi News - 30 de Maio de 2010
    Na edição de 30 de maio, em reportagem de página inteira da seção Organizações, a Profª Maria Beatriz Lobo fala sobre o Instituto Lobo, uma experiência em treinamento, e sobre o tema da palestra "O perfil de um líder e o método de solução de conflitos".

  • Mogi News - 24 de Março de 2010
    Na edição de 24 de março foi publicada reportagem "Instituto Lobo promove capacitação no Alto Tietê", ocasião em que a Profª Maria Beatriz Lobo falou sobre a proposta, com apoio do Grupo Mogi News, que é a de realizar workshops de curta duração com foco na qualificação profissional e pessoal dos participantes

  • Jornal Brasil Econômico - 22 de Janeiro de 2010
    Na edição de 22 de janeiro foi publicada uma entrevista com o Prof. Roberto Lobo, com o título "Onde estão os engenheiros brasileiros?"

  • Revista Ensino Superior - 10 de Janeiro de 2010
    Na edição 136, de janeiro, o Dr. Roberto Lobo fala sobre Receita de sucesso: choque de gestão ... e inovação acadêmica, no artigo Desafios à frente, que fala sobre o atendimento às exigências do MEC, gestão profissionalizada e criatividade na remodelação dos negócios, que serão algumas das etapas a serem vencidas neste ano para garantir uma boa posição no mercado.

2009
  • O Diário de Mogi - 30 de Desembro de 2009
    Na coluna Informação, o colunista Darwin Valente citou o artigo do Prof. Roberto Lobo na Folha de São Paulo - Mais engenheiros para o Brasil.

  • Folha de São Paulo - 14 de Desembro de 2009
    Na seção Tendências| Debates de 14 de dezembro, o Prof. Roberto Lobo falou sobre como seria importante que o governo adotasse uma política agressiva para incentivar a formação de engenheiros pelo setor privado, em artigo com o título: Mais engenheiros para o Brasil.

  • Folha de São Paulo - 17 de Outubro de 2009
    Na seção Tendências| Debates de 17 de outubro, o Prof. Roberto Lobo emitiu sua opinião sobre a questão: Universidades públicas deveriam adotar o sistema de eleições diretas para reitor? - NÃO, Uma Universidade não é um país.

  • O Diário de Mogi - 03 de Outubro de 2009
    O Prof. Roberto Lobo, em entrevista com o título Segurança tem que ser reforçada, no caderno Cidades de 3 de outubro, falou sobre o adiamento do ENEM, em virtude do vazamento do conteúdo da prova, e disse que é um fato grave e que exige o reforço de todo o sistema de segurança da prova.

  • Revista Educação - 30 de Julho de 2009
    A edição nº 147, de julho, publicou artigo - Os novos rumos da avaliação - sobre a adoção do ENEM como um dos principais instrumentos de ingresso nas universidades federais, que promete mudar o processo de seleção do ensino superior e os currículos do ensino médio, que contém a opinião do Prof. Roberto Lobo.

  • Folha de São Paulo - 22 de Abril de 2009
    O Prof. Oscar Hipótilo, consultor do Instituto Lobo, emitiu sua opinião sobre a evasão nos cursos superiores, na reportagem Matemática e Ciências da Computação têm alta taxa de abandono, na seção Cotidiano de 22 de abril.

  • Revista Ensino Superior - 20 de Abril de 2009
    A edição nº 127, de abril, publicou artigo - Referência nacional - sobre a proposta de usar o ENEM como ingresso unificado nas universidades, que pode ajudar as instituições particulares a identificar o perfil dos estudantes e a traçar programas pedagógicos, que contém a opinião do Prof. Roberto Lobo.

  • Folha de São Paulo - 09 de Abril de 2009
    Na edição de 9 de abril, na seção Tendências| Debates, foi publicado o artigo de autoria do Prof. Roberto Lobo e do Prof. Oscar Hipólito, com o título Financiamento e expansão do ensino superior, que fala sobre a necessidade do governo em estimular empréstimos restituíveis concedidos aos estudantes de nível superior para aumentar a demanda.

  • O Diário de Mogi - 06 de Maio de 2009
    Os educadores Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo falam sobre o ensino brasileiro e comemoram neste mês os dez anos da consultoria em educação Lobo & Associados.

  • Folha de São Paulo - 01 de Fevereiro de 2009
    O diretor da Lobo &Associados, Prof. Roberto Lobo, na edição de 1º de fevereiro de 2009, do jornal Folha de São Paulo, falou sobre o mestrado profissionalizante no artigo Após 10 anos, modalidade ainda não se consolidou, e sobre o doutorado no artigo Doutores se multiplicam e interessam às empresas.

2008
  • Revista Ensino Superior - 30 de Setembro de 2008
    O número 120 da revista Ensino Superior, que circulou em setembro de 2008, publicou CAPA - ESPECIAL DEZ ANOS - o artigo Um novo ponto de vista, onde o Prof. Dr. Roberto Leal Lobo e Silva Filho emitiu a sua opinião: Em meio às instituições de ensino superior particulares, algumas optaram pelo "diferencial explícito" de qualidade, analisa o professor Roberto Leal lobo. Isto significa bons estudantes, infra-estrutura de qualidade, professores com alta titulação e mensalidades caras. "São instituições que operam para as classes A e B e que tendem a formar uma parte significativa da elite brasileira, como ocorre, por exemplo, nos Estados Unidos", prevê.

  • Revista TIC Brasil - Educação, Gestão do Conhecimento e Políticas Públicas - 22 de Setembro de 2008
    A edição semanal de 22 de setembro de 2008, cujo tema da semana foi "Taxa de analfabetismo prosseguiu em queda em 2007, mas índice é alto em relação a América Latina", publicou entrevista do professor Roberto Lobo, onde ele destaca que o mais importante em relação ao analfabetismo é não permitir a geração de novos analfabetos, fazendo com que todo cidadão tenha acesso a uma educação básica de qualidade.

  • Revista TIC Brasil - Educação, Gestão do Conhecimento e Políticas Públicas - 11 de Agosto de 2008
    Na edição semanal de 11 de agosto de 2008, cujo tema da semana foi "Orçamento garantido é um dos responsáveis pelo bom desempenho das instituições públicas de Ensino Superior no ENADE", foi publicada a entrevista com o professor Roberto Lobo, que falou sobre a importância do novo indicador que vai orientar a renovação das licenças de funcionamento das IES concedidas pelo MEC.

  • Folha de São Paulo - 07 de Agosto de 2008
    O diretor da Lobo & Associados, professor Roberto Lobo, na edição de 7 de agosto de 2008, do jornal Folha de São Paulo, Caderno Cotidiano 2, emitiu sua opinião como especialista no artigo A cada três cursos privados, um foi mal no Enade.

  • Folha de São Paulo - 31 de Março de 2008
    Ainda repercutindo o artigo "A Evasão no Ensino Superior", elaborado pelos professores Roberto Leal Lobo e Silva Filho, Paulo Roberto Motejunas, Oscar Hipólito e Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo pelo Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia, o professor Oscar Hipólito, pesquisador do Instituto Lobo e consultor/coordenador da Unidade de EAD da Lobo & Associados, participou da matéria da edição de 30 de dezembro de 2007 sobre a queda do número de formados na rede pública, que apontou uma diminuição de quase 10% da quantidade de alunos formados das universidades públicas nos últimos 2 anos. A perda de quase 19 mil estudantes representa, em comparação, quase o dobro das vagas oferecidas pela USP no vestibular de 2008. Na opinião de Oscar Hipólito, "a queda no número de formandos é preocupante. Representa prejuízo financeiro para o Estado, além de perdas acadêmicas e sociais". Na matéria, é citada a existência do estudo sobre evasão do Instituto Lobo que calculou a evasão das IES, que variou 4,2% entre 2005 e 2006. Entretanto, para Hipólito, o aumento da evasão no setor público, sozinho, "não explica a queda de egressos. Os alunos também estão demorando mais para se formarem", disse para o repórter Fabio Takahashi. "A queda do número de concluintes ocorre principalmente por problema de gestão das universidades", avalia o pesquisador, citando como exemplo o regime de créditos, no qual o próprio aluno monta sua carga-horária. "Do mesmo modo que dá mais liberdade para o estudante, o que pode ajudá-lo, muitas universidades deixam o aluno solto, e ele acaba se perdendo", finaliza. A pesquisa completa sobre evasão das IES, incluindo exercícios para capacitação no cálculo da evasão, pode ser adquirida diretamente no Instituto Lobo (www.institutolobo.org.br). O trabalho de pesquisa do Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia que permite comparar a produtividade das instituições brasileiras, públicas e privadas, que conseguiram publicar mais de 50 trabalhos em periódicos internacionais no período de 2001 a 2005, foi matéria central do Caderno de Ciências, do jornal Folha de S. Paulo de 19 de janeiro de 2008. Baseados na forma de organizar os dados da Thomson-ISI, os autores, professores Roberto Lobo e Oscar Hipólito, respectivamente diretor da Lobo & Associados e presidente do Instituto Lobo e especialista da L&A e pesquisador do Instituto, focaram os indicadores de número de trabalhos por doutor em tempo integral, captação de recursos no CNPq por trabalho publicado e trabalhos publicados por curso de pós-graduação aprovado pela Capes das IES brasileiras. No ranking produzido pelo Instituto Lobo e disponível no site www.institutolobo.org.br, o ITA lidera a média de trabalhos publicados por doutor, 5,4, seguido da Unicamp, USP, UFSCar, Unifesp e a UMC, uma universidade particular que, junto com a Unisa, aparece entre as dez primeiras colocadas. Das 86 universidades particulares do País em 2005, apenas 23 (27%) do total conseguiram publicar mais de 50 trabalhos nesse período. "A média de publicação das universidades particulares é de dez trabalhos por ano. É um patamar baixíssimo para as instituições que, pela lei, têm de realizar pesquisa", comenta Oscar Hipólito, um dos autores da pesquisa. Nas federais, o percentual de universidades com pelo menos 50 trabalhos publicados é de 77% e nas estaduais, 42%. Das 83 IES com produção significativa, 24 são privadas, cuja produção representou somente 5% do total de trabalhos publicados no período. A reportagem traz ainda os gráficos com as dez IES melhor colocadas em cada critério do estudo, a repercussão entre as primeiras colocadas e o ponto de vista do setor particular, representado pela ANUP, que aponta a falta de apoio governamental e o excesso de impostos como fatores que limitam o investimento em pesquisa no setor privado. "Temos de tirar dinheiro para a pesquisa daquilo que recebemos das mensalidades, porque enfrentamos muita dificuldade para conseguir recursos dos órgãos federais", explica Abib Salim Cury, presidente da Associação Nacional de Universidade Particulares - ANUP e chanceler da Universidade de Franca.

  • Problemas Brasileiros - 28 de Fevereiro de 2008
    Na seção Ensino, da revista Problemas Brasileiros, editada pelos Conselhos Regionais do Sesc e do Senac, em sua edição de janeiro/fevereiro de 2008, aponta a evasão como alarmante nos cursos superiores, baseada no artigo "A Evasão no Ensino Superior", elaborado pelos professores Roberto Leal Lobo e Silva Filho, Paulo Roberto Motejunas, Oscar Hipólito e Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo pelo Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia. Na ampla reportagem de quatro páginas, a evasão é chamada de "aleijão", que afeta não só os ensinos fundamental e médio, mas a universidade numa dimensão tal que começa a preocupar tanto as autoridades quanto os empresários do ramo. Segundo o estudo, 49% dos alunos que entram na universidade não terão seus nomes inscritos, quatro anos depois, na lista de formandos. Descobriu-se que, do 1,4 milhão de estudantes que em 2002 brindaram o ingresso na faculdade, apenas 718 mil chegaram ao final do curso. Ou seja, quase outro tanto ficou pelo caminho. "Os índices de titulação e evasão variam muito de um país para outro, e mesmo dentro de um único, dependendo do tipo de curso e de IES", explica Roberto Lobo, autor do estudo e diretor da Lobo & Associados Consultoria. Ele esclarece que nos Estados Unidos a taxa de titulação é da ordem de 66%, no Japão é de 93%, na Coréia, 78%, e na França, 59%. "Portanto, a evasão nesses países é de 34%, 7%, 22% e 41%, respectivamente." Em relação aos motivos, Lobo esclarece "que há uma acomodação de todas as partes quando se conclui que a grande maioria das evasões se dá somente por razões econômicas". O ex-reitor da USP, professor Roberto Lobo, comenta ainda que pesquisas realizadas principalmente nos Estados Unidos revelaram que a alegação de dificuldades econômicas reflete, em grande parte, perda da prioridade dos gastos com ensino superior em relação a outras solicitações, quando o estudante se desencanta com o curso ou com a profissão.

  • Portal Universia - 19 de Fevereiro de 2008
    Em 19 de fevereiro de 2008, o Portal Universia, apoiado pelo Banco Santander, que agrega uma rede de quase mil IES de 11 países da América Latina, Espanha e Portugal, publicou uma longa matéria descrevendo o trabalho de pesquisa do Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia sobre as IES que mais pesquisam no Brasil. Além das tabelas com as primeiras colocadas em todos os critérios utilizados no estudo dos autores, professores Roberto Lobo e Oscar Hipólito, respectivamente diretor da Lobo & Associados e presidente do Instituto Lobo e especialista da L&A e pesquisador do Instituto, a matéria traz as comparações entre universidades públicas e privadas e tenta explicar a discrepância nos índices. Segundo Lobo, o fator que mais impede o crescimento vertiginoso da produção científica nas universidades privadas é o custo da produção científica. "Fazer pesquisa não é barato: é preciso investir em infra-estrutura e em mão-de-obra qualificada. Os recursos das instituições privadas são muito limitados, já que quem paga tudo é o aluno" argumenta o professor. O diretor da L&A aponta ainda que, se a IES fosse cobrar do aluno o custo da pesquisa para esse tipo de produção, seriam necessárias mensalidades de R$ 4 mil por estudante, o que seria, na opinião dele, absolutamente inviável.

  • Revista Ensino Superior - 10 de Fevereiro de 2008
    O número 113 da revista Ensino Superior, que circulou em fevereiro de 2008, publicou um artigo assinado pelos professores Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo, diretores da Lobo & Associados, e pelo professor Oscar Hipólito, especialista da Consultoria, que narra como a UMC (Universidade de Mogi das Cruzes) conseguiu ficar entre as dez universidades brasileiras no ranking de produtividade científica apresentado pelo Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia, no jornal Folha de S. Paulo. No artigo, aparecem as principais medidas adotadas pelos autores – que foram, respectivamente, reitor, vice-reitora e pró-reitor acadêmico da UMC – para que uma universidade particular que não constava dos relatórios dos órgãos brasileiros de avaliação e fomento à pesquisa passasse a apontar indicadores de eficiência na área. Entre as estratégias adotadas, destacam-se: a conscientização da importância da pesquisa em uma universidade, conhecer o potencial interno, avaliar esse potencial diante das áreas prioritárias nas agências de fomento, definir a composição dos grupos viáveis e competitivos (preferencialmente de caráter multidisciplinar), centralizar a pesquisa nos doutores, trazer pesquisadores seniores com larga experiência e captação para liderar os grupos e agregar pós-doutores conforme as necessidades. Com essas medidas, a UMC alcançou o terceiro lugar no ranking de produtividade que leva em conta o investimento do CNPq por trabalho publicado, atrás apenas do ITA e da Unicamp, e ficou no 5º lugar entre os melhores indicadores de produção científica indexada por doutor em tempo integral e produção científica por curso de pós-graduação stricto sensu. Na edição de março de 2008, uma ampla cobertura da revista Ensino Superior deu segmento ao assunto da produtividade científica das IES na matéria Esforço Recompensado. Na seção Melhores Práticas/Pesquisa, os atuais gestores de pesquisa das Universidades de Mogi das Cruzes, Santa Úrsula e Santo Amaro narram a trajetória institucional para figurar no ranking produzido pelo Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia. O ranking está publicado no site da revista Ensino Superior e o perfil da publicação científica no Brasil – a partir desse estudo do Instituto Lobo – aparece resumido em box especial da matéria.

2007

  • Educação Científica e Desenvolvimento: O Que Pensam os Cientistas / UNESCO - 01 de Desembro de 2007
    O livro das edições Unesco "Educação Científica e Desenvolvimento: o que pensam os cientistas", publicado em Brasília, a partir de textos de 2005, traz o artigo do professor Roberto Leal Lobo e Silva Filho, diretor da Lobo & Associados, sobre o "Ensino de Ciências no Brasil". Suas considerações podem ser interpretadas como uma antecipação da constatação dos problemas pelos quais o ensino básico no Brasil passa na área de ciências (o que já foi corroborado pelos resultados nas provas dos alunos que apareceram com destaque em toda a mídia nos meses de novembro de dezembro de 2007). Lobo faz também uma comparação entre o PIB dos países e a formação de engenheiros, demonstrando que no Brasil o índice de matrículas nos cursos de Engenharia é muito pequeno se comparado aos dos países mais desenvolvidos e em relação aos cursos de Direito e Administração. O diretor da L&A conclama em seu artigo a valorização do ensino de Ciências e Matemática como um passo importante para reverter esse quadro.

  •  - 30 de Novembro de 2007
    Apresentação Piloto do Programa de Capacitação Telepresencial de Gestores das IES Inúmeras publicações na imprensa nacional repercutiram o lançamento do Programa de Capacitação Telepresencial de Gestores das IES, da Lobo & Associados em parceria com o Grupo Prima, em novembro de 2007. A Apresentação Piloto constou de palestras dos diretores da Consultoria, professores Maria Beatriz e Roberto Lobo, e do coordenador da unidade de EAD da L&A, professor Oscar Hípólito, que apresentou os detalhes da empresa e do programa. Muitas das 23 IES que se inscreveram e receberam o equipamento de recepção instalado prepararam notícias sobre o evento que reuniu todos os gestores, em alguns casos, mais de 150 pessoas, para publicação pela mídia de sua região. Fotos do telão onde os palestrantes falavam ao vivo e respondiam perguntas dos participantes foram apresentadas, e muitas instituições mostraram a participação nesse programa como um diferencial competitivo que vai contribuir muito para o sucesso das IES que adquirirem os módulos que começam em março de 2008.

  • Caderno de Pesquisa / Fundação Carlos Chagas - 01 de Setembro de 2007
    Uma das mais prestigiosas publicações científicas na área de educação, Cadernos de Pesquisa, da Fundação Carlos Chagas, publicou em seu número 132, de set/dez de 2007, o artigo "A Evasão no Ensino Superior", elaborado pelos professores Roberto Leal Lobo e Silva Filho, Paulo Roberto Motejunas, Oscar Hipólito e Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo pelo Instituto lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia. Nesse artigo, há um resumo do primeiro estudo completo da evasão nas IES brasileiras públicas e privadas, em que constam tabelas com dados do Brasil, por região, tipo de IES e de curso e comparações com dados nacionais. A pesquisa completa, incluindo exercícios para capacitação no cálculo da evasão, pode ser adquirida diretamente no Instituto Lobo (www.institutolobo.org.br).

  • Revista Ensino Superior - 01 de Janeiro de 2007
    A diretora da Lobo & Associados, profª Maria Beatriz Lobo, foi a consultora ouvida na grande matéria Competência em questão, da revista Ensino Superior, na edição nº 100, de janeiro de 2007, que trouxe uma discussão sobre como as IES vêm adaptando seus modelos de Plano de Carreira Docente, antes baseados em tempo de serviço, em promoções por mérito. Alguns exemplos de IES que estão reestruturando seus planos aparecem. Entre elas, está a Universidade de Caxias do Sul (UCS), que, coincidentemente, contratou a Consultoria na fase inicial desse trabalho que agora caminha para a finalização. A professora defende que "a gestão do corpo docente também sofre a influência das condições de oferta e procura do mercado, como em outras profissões". Esse assunto foi tema de 2 seminários da Lobo & Associados em 2006, com avaliação 9,6 pelos participantes. Nesses eventos, já se fez sentir, como afirma Maria Beatriz na matéria da Ensino Superior, que "as universidades já têm um consenso sobre do que é necessário, mas há uma absoluta falta de conhecimento de como mudar e fazer com que essa mudança seja bem aceita". Ela acredita que um plano de carreira deve se adequar às necessidades e à maturidade da IES.

2006

  • Portal Universia Brasil - 01 de Novembro de 2006
    Em 1º de novembro de 2006, a questão do corpo docente também foi o assunto abordado pelo Portal do programa UNIVERSIA Brasil - uma rede de 985 universidades de 11 países da América Latina, Espanha e Portugal, que promove a cooperação universitária e a colaboração entre as universidades e as empresas e apresenta, assiduamente, debates sobre temas que interessam ao setor da educação superior. Na matéria, aparece o dilema das IES, cada vez mais preocupadas em captar alunos, mas que nem sempre conseguem manter um corpo docente qualificado e motivado. Esse é um problema, na opinião da profa. Maria Beatriz Lobo, diretora da Lobo & Associados. "O corpo docente é como o DNA da instituição. É ele que dá a carga genética, o seu rosto, suas características fundamentais. É ele que se adapta às mudanças", afirma a diretora, que continua: "Mas, como o DNA, ele não pode perder as situações de contorno. O docente só terá bom desempenho se estiver em um ambiente produtivo. A IES precisa fazer um planejamento, saber o que quer do ensino, da pesquisa e da extensão".

  • Universia Brasil - 07 de Julho de 2006
    O Portal do programa UNIVERSIA BRASIL — uma rede de 985 universidades de 11 países da América Latina, Espanha e Portugal, que promove a cooperação universitária e a colaboração entre as universidades e as empresas — apresenta, assiduamente, debates sobre temas que interessam ao setor da educação superior. Em 7 de julho de 2006, o assunto foi o Seguro-Educação: uma alternativa para o setor? O produto, regulamentado pelo SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), cobre as despesas com as mensalidades no caso de morte do responsável, assistência médica de emergência e algumas mensalidades em situação de desemprego. "Essa prática não vai solucionar todos os problemas que o setor enfrenta. Porém, quando bem aplicada, pode contribuir para minimizar grande parte deles", garantiu o professor Roberto Lobo, diretor da L&A: "O setor passou — e ainda passa — por um período de grande instabilidade. Por isso existe a preocupação em não repassar custos ao aluno, o que é um equívoco, já que estes são baixos", avalia Lobo.

  • Folha Online - 18 de Abril de 2006
    Com a manchete Ensino superior tem metade das vagas ociosas, a FOLHA ONLINE, do jornal Folha de São Paulo, em 18 de abril de 2006, chamou a atenção sobre os dados do Censo da Educação Superior 2004 (último disponível), que aponta um número de ingressantes nas instituições particulares 2% maior que no ano anterior, contra 16,8% das vagas oferecidas no mesmo período, elevando, assim, a taxa de ociosidade das vagas de 20,2% em 1998, para 49,5% em 2004. Ou seja, para cada vaga que é oferecida, uma ficará ociosa no setor particular. "Nos EUA, cerca de 360 instituições fecharam entre 1960 e 1990 pelas mesmas razões", advertiu o ex-reitor da USP, Roberto Lobo, diretor da L&A.

  • Folha de São Paulo - 11 de Março de 2006
    A Diretora da Lobo & Associados, Profª. Maria Beatriz Lobo, na edição de 11 de março de 2006, do jornal Folha de São Paulo, na coluna Tendências e Debates, em resposta à pergunta do periódico sobre uma eventual intervenção do governo na crise da PUC-SP, defendeu a alternativa NÃO, em artigo com o título À espera de um milagre. Apesar de reconhecer a importância da Universidade no cenário educacional e a consternação que se abateu sobre a comunidade da PUC-SP diante da crise que culminou na demissão de 30% de seus quadros, a consultora apresentou diversos argumentos para que o episódio não gerasse uma posição meramente casuística por parte do governo, uma vez que a instituição, sendo privada e com demanda e valores de mensalidade altamente elevados, não poderia esperar ajuda externa para erradicar o déficit operacional que a abate há vários anos, na medida em que esse auxílio não estivesse dentro de um programa mais abrangente que alcançasse diversas IES na mesma situação. Mesmo reconhecendo que um processo como esse pode gerar injustiças, Maria Beatriz acredita que o momento poderia despertar uma reflexão sobre o financiamento do ensino superior brasileiro e uma maior preocupação com a qualidade da gestão no setor. "Não se deve premiar a má gestão com dinheiro público", completou. Quase um mês depois, em 24 de abril de 2006, o Prof. Roberto Lobo, diretor da Lobo & Associados, participou da série Diálogos Impertinentes, promovida pelo jornal Folha de São Paulo, exibida pela Rede Sesc/Senac, justamente com um ex-reitor da PUC-SP, Prof. Luiz Eduardo Wanderley. No evento, foram discutidos vários assuntos — a situação do ensino superior, o cenário e a concorrência, e, é claro, a crise da PUC-SP. Na questão sobre a escolha de dirigentes, em que se debateu a eleição direta universal, o Prof. Lobo argumentou que esse não era um problema, mas uma decisão institucional: "Não há nenhuma relação comprovada entre a forma de escolha e a qualidade da universidade. Entretanto, certamente a opção por eleição direta não é a mais comum nas instituições mais prestigiadas e conceituadas, como Harvard, Oxford, Stanford, Salamanca, Sidney, Berlim e muitas outras", informou o professor.

  • Folha de São Paulo - 22 de Janeiro de 2006
    O diretor da Lobo & Associados, professor Roberto Lobo, na edição de 22 de janeiro de 2006, do jornal Folha de São Paulo, afirma que as universidades mais tradicionais precisam ser eficientes e que não necessitam copiar a estrutura das públicas, na reportagem Universidades Nanicas Podem Desaparecer. Na mesma publicação, na edição de 5 de março p.p., o ensino superior voltou a ser notícia na reportagem Com Lucro em Queda, Universidades Mudam, em que Lobo aponta a dificuldade que algumas universidades privadas estão tendo por não conseguir repassar seus altos custos para as mensalidades.

2005

  • O Diário de Mogi - 06 de Desembro de 2005
    No periódico O Diário de Mogi, que circula em todo o Alto do Tietê, em São Paulo, Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo, diretores da Lobo & Associados, foram chamados a opinar em várias reportagens sobre educação. Na edição de 6 de dezembro de 2005, o professor Lobo comentou sobre a instalação da FATEC (Faculdades Tecnológicas - Estaduais e Gratuitas) na Região. Em 20 de outubro de 2005, foi a vez da professora Beatriz falar sobre a tecnologia de comunicação e informação nas escolas quando afirmou que, apesar do grande potencial, os recursos tecnológicos e a própria internet são ainda pouco usados, principalmente para aproximar alunos e professores, melhorar o atendimento e a assistência individualizada ao estudante, pois considera que a internet é uma ferramenta que "devolve ao aluno a autonomia de estudo".

  • Carta Capital - 30 de Novembro de 2005
    Em depoimento na reportagem especial Os Campeões do Diplom, na edição de 30 de novembro de 2005, o professor Roberto Lobo, diretor da Lobo & Associados, analisou as matrículas no ensino superior brasileiro e apresentou os dados em relação aos demais países da OECD, acentuando a pequena taxa de alunos nos cursos de engenharia e ciências naturais no Brasil e a necessidade de financiamento ao estudante brasileiro de baixa renda.

  • Revista Ensino Superior - 31 de Julho de 2005
    A revista Ensino Superior de julho deste ano relatou o IV Encontro Nacional de Graduação das IES Particulares, promovido pela Universidade Cândido Mendes e pelo Observatório Universitário em parceria com a Funadesp. Roberto Lobo, diretor da Lobo & Associados foi o palestrante do painel Avaliação Institucional como Instrumento de Gestão do Ensino, quando apresentou a metodologia de avaliação que a Consultoria defende e alguns exemplos concretos de resultados de avaliações de algumas IES, tomando como foco o curso de Direito, em que as maiores críticas apresentadas pelos estudantes estão voltadas ao excesso de aulas expositivas, falta de motivação dos alunos e fraca relação teórico-prática. O Professor Lobo propôs mecanismos para que as IES apresentem diferenciais concretos, capazes de justificar a escolha pelo aluno, e alertou para o risco de Planos de Desenvolvimento Institucionais inflacionados para agradar ao MEC, mas que acabam se verificando inexeqüíveis.

  • Revista E - 25 de Maio de 2005
    O Serviço Social do Comércio (SESC) publica uma revista gratuita, em que divulga sua programação e entrevistas com personalidades. Entre elas, está a do diretor da Lobo & Associados, professor Roberto Lobo, na edição de 25 de maio de 2005, que traz duas páginas com o resumo da palestra proferida no encontro mensal do Conselho Editorial da revista. Sob o título Prioridade Invertida, Lobo explica sua posição sobre o campus da USP Zona Leste "A educação de massa tem um papel muito importante, mas as pessoas não podem pensar que será uma universidade única, e uma universidade de pesquisa, que vai resolver todos os problemas do mundo. Não há instituição que sobreviva a essa demanda, ela fica estraçalhada. Digo com a maior pena e a maior sinceridade: a USP da Zona Leste foi um equívoco. A solução seria um sistema estadual de Ensino Superior mais diversificado". Além da USP, Lobo discorreu sobre a inversão de prioridades no Brasil, que não dá a mesma atenção ao Ensino Fundamental, e o investimento tardio que é feito no Ensino Superior. "É começar a treinar um atleta aos 20 anos" explicou.

  • O Estado de São Paulo - 06 de Maio de 2005
    Em entrevista de página inteira da edição de 6 de maio de 2005, o professor Roberto Lobo, diretor da Lobo & Associados, explicou que a universidade pública brasileira já gasta mais do que estava previsto na primeira versão da proposta da Reforma Universitária elaborada pelo MEC. "Estão falando em grande aumento de recursos, mas as despesas já estão além do que se promete". No dia seguinte, o MEC rejeitou os cálculos de Lobo, mas as novas versões do projeto já trouxeram grandes mudanças nesse quesito, mostrando que a Consultoria tinha razão. A entrevista também tratou da opinião do professor sobre os demais itens da reforma, incluindo a autonomia das federais, a expansão do ensino superior e o padrão internacional de qualidade da gestão, entre outros.

  • Revista Istoé - 09 de Fevereiro de 2005
    Na sessão cartas da edição de 09 de fevereiro de 2005, da revista ISTOÉ, o Prof. Roberto Lobo esclarece o comentário feito na reportagem do jornal O Estado de S. Paulo e reproduzido sem contextualização pelo Ministro Tarso Genro, quando indica que os regimes de esquerda não necessariamente adotam a eleição direta para escolha de reitor, citando o exemplo de Cuba. O diretor da L&A considera que a eleição direta nas universidades não é garantia de qualidade, como indicam exemplos nacionais e internacionais, e, ao contrário, tornam as instituições mais corporativistas e autocentradas.

  • O Estado de São Paulo - 23 de Janeiro de 2005
    Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, de 23 de janeiro de 2005, mostrou a análise de vários especialistas sobre o anteprojeto da Reforma Universitária proposta pelo MEC. Entre eles, estava o Prof. Roberto Lobo, diretor da L&A, que demonstrou preocupação com o fato de que não há previsão de cobrança de resultados e/ou metas baseadas em planos como contrapartida da autonomia a ser concedida para as universidades federais, com a insistência em impor a eleição direta para escolha de reitores e à submissão à política organizada do Ensino Superior, que marcou a proposta com vários aspectos políticos e ideológicos. Já a passagem das verbas de um ano para o outro e a reintrodução do ciclo básico, com certificado de formação geral agradaram.

2004

  • Revista Movimento - 01 de Desembro de 2004
    Revista com grande circulação na região de Governador Valadares – MG, Movimento teve como matéria central, em sua edição de dezembro de 2004, o processo de escolha da reitora da Universidade Vale do Rio Doce, coordenado pela L&A, em uma entrevista de cinco páginas com o Presidente da Fundação Percival Farquhar, mantenedora da UNIVALE, que falou do papel que a Lobo desempenhou na escolha da Profª Inguelore e do trabalho de assessoria que a Consultoria vem desenvolvendo em vários setores da Universidade e na Fundação, imprimindo ainda mais força e profissionalismo à contribuição que a UNIVALE/FPF dá ao desenvolvimento da cidade e da região.

  • Revista Ensino Superior - 01 de Desembro de 2004
    A publicação do SEMESP/Editora Segmento, a revista mensal Ensino Superior, destinada a mantenedores, diretores, orientadores, professores e pessoas voltadas à Educação Superior trouxe reportagem, na edição de dezembro de 2004, sobre Visão Externa, em que foi ressaltada a importância do trabalho das consultorias e sua abrangência nas IES. O diretor da L&A, professor Roberto Lobo, analisou as demandas por esse serviço, os exemplos de trabalhos já realizados, e a necessidade das IES em buscar apoio especializado, diante da desestruturação natural pelas quais passam em decorrência de sua expansão, da concorrência e das exigências, que cada vez mais impactam a gestão universitária.

  • Guia OESP Educação - 31 de Maio de 2004
    O maior e mais completo guia de fornecedores para instituições de ensino, da OESP Mídia, do grupo O Estado de São Paulo, faz referências à pesquisa realizada pela Lobo & Associados e à opinião do professor Roberto Lobo sobre as questões financeiras que envolvem as instituições, em especial suas fontes de receita: "91,54% das receitas das IES privadas brasileiras vêm das mensalidades", afirma o professor.

  • Revista Veja - 26 de Maio de 2004
    A revista Veja, de 26 de maio de 2004, trouxe o anúncio que divulgou nacionalmente o processo de escolha ao cargo de reitor da Universidade Vale do Rio Doce (UNIVALE), coordenado pela L&A,e depois o nome da professora Inguelore Scheunemann, que foi divulgado em primeira mão no dia seguinte à escolha, na seção Datas, da edição de 28 de julho de 2004, sob o título "Escolhida".

  • Folha de São Paulo - 22 de Maio de 2004
    Em artigo publicado na seção Tendências / Debates, no dia 22 de maio de 2004, o professor Roberto Lobo defendeu o controle, e não a extinção, das fundações de direito privado abrigadas pelas universidades públicas. "É preciso que as fundações sejam levadas a se aperfeiçoar, caminhando no sentido de se institucionalizarem como parte do plano geral das universidades." No dia 18 de julho de 2004, no caderno Cotidiano, a Lobo & Associados foi a Consultoria que recebeu maior destaque na matéria publicada sobre "Consultor ajuda a eleger reitor-empresário", quando várias empresas do ramo falaram sobre a busca de especialistas para resolver problemas das instituições, procura que vem aumentando e foi exemplificada com o processo de escolha do reitor da UNIVALE, coordenado pela L&A.

  • Rede CBN - 03 de Março de 2004
    Em entrevista ao programa CBN Total, no dia 3 de março de 2004, o professor Roberto Lobo defendeu o financiamento ao aluno, tanto dos que cursam instituições privadas quanto o jovem carente que freqüenta IES públicas. Segundo ele, o estudante brasileiro é responsável por quase todas as receitas das Instituições de Ensino Superior, referência que nos Estados Unidos, por exemplo, não passa de 30%.

  • O Estado de São Paulo - 03 de Março de 2004
    Com base em pesquisa desenvolvida pela Lobo & Associados, a reportagem "Nas universidades privadas, alunos bancam tudo", publicada no dia 3 de março de 2004, mostrou a necessidade das IES encontrarem outras fontes de recursos para financiar suas atividades. Segundo o professor Roberto Lobo informou à jornalista Renata Cafardo, "o problema é que as IES convivem hoje com essa dependência aliada a altas taxas de inadimplência".

  • Folha de São Paulo - 06 de Janeiro de 2004
    Em artigo publicado na seção Tendências/Debates, no dia 6 de janeiro de 2004, o professor Roberto Lobo analisa as dificuldades que as IES brasileiras terão de enfrentar para adotar políticas educacionais compatíveis para formação do profissional do início do século 21. "O abandono da postura intelectual séria, a falta de formação científica e a permissividade com a falta de disciplina e respeito pelos mestres são pontos que necessitam de atenção maior no desafio de bem ensinar", disse o professor.

2003

  • Jornal da Tarde - 01 de Novembro de 2003
    Na reportagem "Novo provão vai avaliar 13 cursos em novembro" da jornalista Daniela Tófoli, o professor Roberto Lobo afirmou que "é uma pena perder a série histórica dos dados que o provão fornecia e a crescente credibilidade dos resultados que vinham ajudando a melhorar a qualidade das faculdades". Ele também comentou aspectos da criação do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior).

  • Revista Carta Capital - 15 de Outubro de 2003
    A pesquisa da Lobo & Associados, que demonstra a existência de uma relação direta entre a qualidade de ensino e a taxa de inadimplência, foi citada pela revista em reportagem sobre os efeitos dos atrasos dos pagamentos de mensalidades na administração das IES. A publicação de 15 de outubro de 2003 destaca o alerta do professor Roberto Lobo para problemas de gestão que podem inviabilizar instituições que não se ajustarem à atual realidade do ensino e seus custos.

  • Rádio Eldorado - 29 de Julho de 2003
    O professor Roberto Lobo avaliou o remanescente de 14 mil vagas nas universidades federais, em entrevista ao programa Eldorado à Tarde, da Rádio Eldorado/Estadão, concedida no dia 29 de julho de 2003, ao âncora Leandro Andrade. Com a experiência de ex-reitor da Universidade de São Paulo, o professor Roberto Lobo concordou com a necessidade de uma política de aproveitamento de vagas ociosas nas IES públicas.

  • Folha de São Paulo - 01 de Julho de 2003
    Com o título "A redescoberta de Cristovam", a seção "Tendências e Debates" da edição do dia 1º de junho de 2003 publicou artigo do professor Roberto Lobo defendendo a necessidade de se rediscutir o ensino da matemática no País. Referindo-se à intenção do ministro Cristovam Buarque, da Educação, de restringir às disciplinas de português e matemática o exame nacional que alunos do Ensino Médio fariam para servir como subsídio à seleção para a faculdade, Lobo relembrou as mudanças ocorridas no ensino com a adoção da "matemática moderna" e apontou motivos que levaram à desmotivação generalizada dos alunos em relação à matéria. "É preciso repensar o ensino da matemática", disse Roberto Lobo.

  • UNITV - 08 de Maio de 2003
    Ao participarem do Programa Entrevistas & Debates, no dia 8 de maio de 2003, os professores Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo afirmaram ao canal UNITV, no Rio Grande do Sul (NET canal 15), que o ensino superior no Brasil necessita de investimentos na qualificação de gestores e do corpo docente. Também participaram do programa o pró-reitor de Administração, Antonio Mário Bianchi, e a pró-reitora de Ensino e Graduação, Solange Medina Ketzer, ambos da PUC-RS, onde os sócio-diretores da L&A ministraram um curso sobre Gestão da Unidade Acadêmica para mais de 60 dirigentes. A segunda turma da PUC-RS fará o curso em setembro.

  • Rádio Eldorado - 03 de Fevereiro de 2003
    Em entrevista ao âncora Leandro de Andrade, no dia 3 de fevereiro de 2003, o professor Roberto Lobo defendeu a autonomia das universidades públicas, citando como exemplo as conquistas registradas na formação acadêmica, pesquisa e extensão na Universidade de São Paulo (USP), da qual foi reitor no período de 1990/93.

2002

  • Folha de São Paulo - 26 de Desembro de 2002
    No dia 26 de dezembro de 2002, a Coluna Tendência e Debates publicou artigo assinado pelos professores Roberto Lobo e Maria Beatriz Lobo alertando para "O risco do retrocesso", título que resume a opinião dos dois consultores sobre a expansão das IES em relação às medidas em discussão no âmbito federal para o funcionamento do Ensino Superior. Já no dia 26 de fevereiro de 2003, no Folha Sinapse, o professor Roberto Lobo foi entrevistado sobre os modelos de pesquisa adotados pelas IES privadas brasileiras, na reportagem "Pesquisa: vocação ou marketing?"

  • Jornal da Tarde - 25 de Desembro de 2002
    Em reportagem de 25 de dezembro de 2002, que apontava alternativas nos processos seletivos das IES, o professor Roberto Lobo, em entrevista à repórter Daniela Tófoli, criticou a sugestão do MEC de implantar a avaliação seriada para o ingresso nas IES públicas. Para outra matéria, publicada em 27 de janeiro de 2003, a jornalista também consultou a L&A para apresentar recomendações fundamentais na hora de escolher uma faculdade.

  • Revista Veja - 25 de Desembro de 2002
    O artigo "Geografia e mitologia da pesquisa", assinado pelo articulista Claudio de Moura Castro, na edição de 25 de dezembro de 2002, citou estudo da professora Maria Beatriz Lobo que estima o custo mínimo de uma mensalidade para uma IES viabilizar projetos de pesquisa sem recursos públicos. O levantamento integra o acervo de relatórios da L&A.

  • Revista Carta Capital - 11 de Desembro de 2002
    Em reportagem especial, a revista discutiu, em sua edição de 11 de dezembro de 2002, a dificuldade de escolha do curso e da faculdade por estudantes brasileiros. Também destacou as carreiras mais populares, com comentários do professor Roberto Lobo, sócio-diretor da L&A, e quadro elaborado pela Consultoria com a evolução registrada nas áreas de Administração, Direito, Engenharias e Medicina nos últimos quatro anos.

  • Rádio Eldorado - 01 de Outubro de 2002
    Em três entrevistas à emissora do Grupo Estado, no mês de outubro de 2002, o professor Roberto Lobo analisou o Relatório Anual do Banco Mundial Closing the Gap in Education and Technology, que apresenta um retrato da evolução da Ciência e Tecnologia na América Latina, discutiu sobre os cenários do Ensino Superior no Brasil e participou de um debate sobre os princípios da Progressão Continuada, política educacional adotada na rede pública do Estado de São Paulo.

  • Correio Braziliense / O Globo - 30 de Setembro de 2002
    Em sua edição de 30 de setembro de 2002, na coluna Seu Bolso, uma reportagem no principal jornal diário do Distrito Federal relatou um caso típico de inadimplência no Ensino Superior e recorreu a dados da Pesquisa Nacional da Lobo & Associados para explicar o problema. Em entrevista, a professora Maria Beatriz Lobo, coordenadora do levantamento lembrou que "a inadimplência ainda é tratada de forma amadora pelas faculdades, não há dados gerenciais, nem agilidade e organização". A inadimplência e suas correlações com o Provão já haviam sido abordadas numa reportagem do jornal carioca O Globo, de 18 de julho.

  • Valor Econômico - 09 de Agosto de 2002
    Um artigo do professor Roberto Lobo, sócio-diretor da Lobo & Associados, analisando "o grande desafio do Ensino Superior no País", ocupou duas páginas do caderno Eu & Valor, publicado na edição de 9 de agosto de 2002. Num estudo aprofundado, o ex-reitor da USP traça um perfil detalhado da problemática educacional no Brasil, onde a expansão do Ensino Superior aparece como o "próximo grande desafio que o governo irá enfrentar na área de educação". Apresenta ainda uma agenda com propostas para que o País possa vencer esse e outros desafios. A análise foi originalmente publicada como encarte especial do Dossiê Internacional da Prospectiva – Consultoria Brasileira de Assuntos Internacionais.

  • O Estado de São Paulo - 18 de Julho de 2002
    "A baixa qualidade dos cursos é um fator que estimula a inadimplência: quanto mais baixa a nota no Exame Nacional de Cursos (Provão), mais alta a taxa de inadimplência", afirma a reportagem publicada na edição do dia 18 de julho de 2002 do influente jornal paulista, tomando como base os resultados do estudo realizado pela Lobo & Associados, que analisou as causas da inadimplência com as instituições privadas. A repórter Marta Avancini ouviu o diretor da União Nacional dos Estudantes, Geraldo Vilar, e o presidente da Associação Nacional dos Centros Universitários, Magno Maranhão, que concordaram inteiramente com o raciocínio determinado pelos números da pesquisa.

  • Folha de São Paulo - 07 de Julho de 2002
    A pesquisa sobre inadimplência realizada pela Lobo & Associados com 49 instituições particulares de Ensino Superior também foi notícia em duas notas publicadas no dia 7 de julho de 2002, na coluna Painel S/A, do caderno Dinheiro. O jornal deu ênfase especial ao fato de os alunos de menor poder aquisitivo serem melhores pagadores do que os de classe média. Vinculando a má qualidade do ensino ao aumento da inadimplência, a coluna também destacou que nas instituições que obtiveram o conceito "A" e "B", apenas 12,1% dos alunos não pagaram as mensalidades, enquanto nas com conceito "D" e "E" o índice foi de 21,9%, conforme demonstrou o trabalho da Consultoria.

Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia
Rua José Urbano Sanches, 420 - Vila Oliveira - Mogi das Cruzes, SP (08780-220)
Tel/Fax (11) 4796-2811
Lobo & Associados Uma referência nacional de Consultoria em Educação